Melhoria contínua



Quem conhecer a melhoria contínua? Ou conversas cotidianas:

-É tão bom terminar os estudos e estar formado.




– Ótima notícia, amigo, mesmo tendo 16 anos você já tem um curso superior. Parabéns!

– Não, na verdade apenas terminei o ensino médio.

Conversas deste tipo ou ainda aquelas nas quais alguém se diz velho demais para expandir conhecimento não são difíceis de ouvir.

Na atual conjectura, no entanto a necessidade reside em um constante aperfeiçoamento. Completar o ensino médio não é o suficiente, ter sua graduação é apenas o trampolim para um pós.

O que precisa ficar claro é: Não é obrigatório se ter o curso de graduação, pós-graduação ou curso técnico para se alcançar sucesso comercial, afinal se isso fosse verdade não teríamos tanto empresários fluentes os quais contam apenas com um curso de ensino médio (em algumas vezes nem mesmo isso).




O que preciso para melhorar constantemente?

A real necessidade para um empreendedor é a constante busca pelo seu melhor. Uma frase de Roberto Shinyashiki, médico-psiquiatra com pós-graduação em Gestão de Negócios, diz “vencer não é competir com os outros. É derrotar seus inimigos interiores”. O ato de buscar o melhor, vencer suas próprias barreiras, impostas externamente ou em seu âmago pode ser considerado o ato de melhorar continuamente.

Filosofia Kaizen na melhoria contínua

Melhoria contínua costumeiramente também é reconhecida pela palavra “Kaizen”, uma palavra japonesa formada por duas outras, Kai e Zen, que respectivamente significam “mudar” e “melhor forma”. Fazendo uma tradução literal à palavra “kaizen” então significa “melhoria contínua”.

Esta palavra é empregada em uma forma de viver pelos japoneses, filosofia de vida, eles encaram a vida a partir da pressuposição de que ao chegarmos a este mundo precisamos em todo momento enfrentar desafios, identificar seus elementos geradores, e vencê-los.

Percebemos se tratar de uma atitude, praticamente uma questão moral, algo necessariamente imposto internamente que acaba por refletir externamente seus resultados.

Este “querer melhorar” precisa acompanhar os variados setores da vida. Você não vive apenas do trabalho, a família precisa ser constantemente acompanhada, sua aparência precisa seguir o ritmo também e suas amizades não podem ser postas de lado; quem nunca conheceu um excelente profissional que tivesse problemas familiares e/ou fosse desleixado com sua aparência? Crescer é necessário e assim como uma criança sente dores no crescimento quem busca melhorar terá de enfrentar os variados desafios.


Segundo os japoneses adeptos dessa filosofia uma série de novidades quanto à maneira de gerenciar é utilizada: Total controle de produção e controle sobre os métodos empregados na produção.

A filosofia Kaizen engloba 10 ordenamentos.

  • Sabe aquela sensação, de quando se está em frente à TV ou navegando na internet, que diz “você deveria estar estudando”: A sábia utilização de tempo fará com que sua produção, na empresa ou em casa, seja maior.
  • Não há a questão elitista. É óbvio que existe uma hierarquia, contudo da parte mais básica ao topo da liderança, todos devem ser abrangidos.
  • Fazer uso sem necessidade equivale a deixar lento qualquer desenvolvimento, portanto evite desperdiçar matéria-prima.
  • Gastar muito não significa grande retorno. A produtividade pode muito bem ser atingida de forma favorável sem que gastos exorbitantes sejam empregados.
  • Engana-se quem pensar ser a filosofia Kaizen passível de uso apenas em determinados locais, ela pode ser empregada nos mais variados ambientes.
  • Organização em métodos.
  • O gerenciamento precisa ter métodos apoiados em processos claros, desta forma eles serão entendidos por todos envolvidos na produção.
  • O local aonde vai se fazer uso da filosofia Kaizen deve ser foco de atenção.

De todos os pontos desta tão interessante filosofia, provavelmente aquele mais essencial é o seguinte:

  • A prioridade dos meios de produção deve ser o ser humano. Uma melhor produção advém de uma mentalidade mais apurada.

Quanto mais informação, quanto melhor tratado alguém for, a orientação intelectual desta pessoa será aprimorada e levada a melhor desenvolver suas tarefas e se de modo individual o meio, a produção é melhorado, consequentemente o grupo é aprimorado.

  • O aprimoramento não chega de modo teórico: Para aprender é preciso praticar.

Variações de Kaizen:

  • Na administração:

A filosofia em questão está relacionada às questões morais, o administrador deve reservar pelo menos metade do seu tempo no aprimoramento de suas capacidades.

A melhora não deve ser algo ligado só ao líder, todos os setores de uma organização devem ser atingidos quando ele assim o for.




Quando os colaboradores não se enquadram em uma padronização de comportamento o gestor deve oferecer treinamentos (ou melhorar os treinos já oferecidos) e implantar este comportamento, regularizando horário e maneiras de se executar tarefas.

  • Nos setores de uma organização:

A melhoria precisa alcançar todos os setores da empresa, falar que houve melhora sem que esta ocorra em todos os departamentos é algo contraditório para a filosofia Kaisen.

A equipe deve procurar constantemente e de maneira sistemática o aperfeiçoamento de suas tarefas e efetuando, se preciso for, mudanças comportamentais. É essencial frisar que ao atingir os colaboradores, a adoção constante de mudanças fará que até o produto desenvolvido por eles tenham aperfeiçoamento.

A melhora alcança todos os setores porque as atividades são realizadas de maneira conjunta, a utilização da filosofia kaizen em uma empresa remete aos colaboradores de todas as áreas e o interesse é que todos compartilhem suas experiências.

Um líder será escolhido, através de votação, e direcionará o grupo, indicando os pontos fortes e aqueles carentes de adequação. Sua função será direcionar o grupo e transformar conhecimento teórico em prático.

Para transformar o teórico em conhecimento empírico se faz o uso de um método conhecido como PDCA (Plan-Do-Check-Action) que tem como objetivo melhorar os processos.

  • Direcionado para indivíduos:

Às pessoas devem ser feitas propostas influenciadoras de melhores realizações em suas tarefas. É um direcionamento que servirá como base para, por parte da administração, avaliar o trabalho, individualmente, de seus colaboradores e assim colocá-los em novas funções.

O direcionamento individual faz uso de algumas ferramentas:

  • Ciclo PDCA – Proporciona aumento da agilidade dos processos de produção.

P (Plan) – Planos: Estabelecimento das metas.

Do (Execução) – Executa os serviços seguindo criteriosamente os passos estabelecidos no planejamento.

Check (Checagem) – É necessária averiguar se o trabalho está sendo efetuado da maneira a qual foi designado, isso se faz através do confrontamento entre plano e execução.

Act (ação) – Caso haja necessidade de programar um novo direcionamento o responsável deve estar apto a inovar no plano primário.

  • Diagrama de causa e efeito

Balancead Scorecard.

Grandes empresas possuem um índice responsável por averiguar a melhoria dentro da organização, ele é chamado “Balancead Scorecard” que pode ser entendido como “desempenho equilibrado”. Este índice é uma arma para os grandes empreendedores, pois permite avaliar o desempenho do funcionário em âmbito setorial e individual, ele avalia se as metas foram cumpridas no prazo determinado.

A empresa possui então, através do Balanced Scorecard uma forma de aprimorar a maneira a qual as tarefas são executadas. O relacionamento entre companhia e fornecedores é melhor constituído através deste índice.

Gastos, relacionamento e análise da infraestrutura da empresa são âmbitos visados em um bom Balanced Scorecard, logo não é uma simples forma de administração, é praticamente uma estratégia de guerra sendo constantemente analisada. É através desse índice que o empreendimento de uma organização alçará voos mais altos.




FIQUE ATUALIZADO!

Receba Sacadas de Negócios Diretamente no Seu E-mail!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here