Aprendizagem organizacional



Aprendizagem organizacionalA aprendizagem organizacional é um dos temas mais amplos e discutidos no meio corporativo, pois inclui gestão de conhecimentos, educação corporativa e fatores empresariais. É discutido também, pois consiste em teorias de aprendizagem e aplicação no meio empresarial.

A aprendizagem organizacional compreende toda a complexidade empresarial e por isso, este aprendizado deve considerar aspectos como: cultura e todo o estudo que envolve a cultura organizacional que são fatores internos e externos como sociologia, psicologia e evolução da gestão.




Teorias da Aprendizagem

A aprendizagem organizacional constitui um processo, pois as empresas são sistemas que se desenvolvem e que interagem com o ambiente e por isso, o conhecimento das organizações é uma construção diária que depende de compromissos, transações, estratégias e envolvimento para crescimento e expansão empresarial.

Dessa forma, tem-se que cada vez mais as empesas consideram a aprendizagem e suas teorias para obter sucesso.

Uma das teorias da aprendizagem é a teoria individual. Essa teoria crê que todo conhecimento construído de forma coletiva tem origem no aprendizado individual e o conhecimento individual é formado a partir da tensão e conflito existente no ambiente de trabalho, fazendo com que o indivíduo busque maior aprendizado e aperfeiçoamento.

Por esta teoria que valoriza as pessoas e a coletividade no ambiente laboral, fica claro que o conhecimento depende da motivação a partir da experiência.

Cultura organizacional – a cultura organizacional é fundamental para a construção do conhecimento empresarial, pois construir um ambiente voltado para o aprendizado depende da estrutura organizacional e como esta interage.




Portanto, uma organização voltada para o aprendizado possui um ambiente dinâmico e integrador, com visão compartilhada e que busca oportunidades iguais para os colaboradores.

As empresas que aprendem estão sempre envolvidas em projetos de melhoria de processos, melhores resultados, como também projetos para melhoria do clima e ambiente organizacional.

Teoria Interpretativa-compreensiva – essa teoria consiste em estudar o ambiente organizacional como um local dinâmico e cheio de incertezas, ou seja, as organizações que aprendem são aquelas que gerenciam experiências e as interpretam para busca de melhorias e alcance dos objetivos.

A teoria compreensiva é assim chamada, pois adota uma visão holística e a partir desta visão busca soluções para os problemas.

A teoria compreensiva trabalha e estuda como o sistema funciona a partir da compreensão das dimensões e interconexões em um dinamismo que exige interpretações compreensivas sobre dados, informações, cultura com uma visão livre de preconceitos e um processo de monitoramento, identificação e retenção de conhecimentos para formação de um sistema de gestão e comunicação de conhecimentos.


Com isso, vemos que processo de aprendizado organizacional, com certeza é um processo de posicionamento estratégico.

Peter Senge e a quinta disciplina

Para o estudioso Peter Senge, a aprendizagem organizacional é composto por tecnologias e disciplinas que podem ser estudadas dominadas e postas em prática, com o auxílio de cinco disciplinas: domínio pessoal, objetivos ou visão compartilhada, modelos mentais, aprendizado em grupo e visão sistêmica.

Domínio Pessoal – é a disciplina que implica na base espiritual da empresa e resulta em um alto grau de proficiência e capacidade de obter resultados. O domínio pessoal busca esclarecer e manter o foco do que realmente é importante para nós.

Enxergar com clareza nossos objetivos e a realidade atual com certa distância. Na verdade, essa distância é fundamental para a tensão criativa.

Modelo mental – algumas ideias estão profundamente arraigadas, constituindo generalizações ou imagens capazes de influenciar a visão de mundo e atitudes individuais. Essas ideias e generalizações são modelos mentais.

As empresas influenciam modelos mentais, pois, mesmos que os melhores modelos mentais capacite pessoas para o ajustamento às mudanças, não deve ser imposto.

Visão compartilhada – as organizações que pretendem construir objetivos comuns devem ser encaradas como objetivos que antes foram objetivos individuais. As pessoas que compartilham objetivos possuem características semelhantes, comprometimento, participação, obediência genuína e outras características.




Aprendizado coletivo – qual é o coeficiente de inteligência da equipe, é uma pergunta que todo gestor deve fazer, porque isso influenciará a capacidade de trabalhar em grupo, aumentando assim o aprendizado individual e o aprendizado organizacional pelo compartilhamento e integração de talentos e conhecimentos.

Raciocínio sistêmico – é a disciplina que encerra uma necessidade real e presente no dia a dia das empresas. O raciocínio sistêmico leva a uma visão integrada da corporação que traz benefícios estruturais e até culturais para a organização, como uma visão do todo e entendimento das conexões e como essas conexões resultam em crescimento conjunto dos departamentos.

A visão sistêmica sugere que exista uma inter-relação que contribue para processos de mudanças quando necessárias e para obtenção de resultados com foco nos processos e qualidade final dos produtos e serviços.

A visão sistêmica é a quinta e mais importante disciplina para uma organização que aprende, pois a visão sistêmica engloba as quatro disciplinas anteriores que são a visão compartilhada com o uso de modelos mentais para o aprendizado coletivo e a partir disso, criar domínio pessoal a fim de melhorar resultados profissionais e organizacionais.




FIQUE ATUALIZADO!

Receba Sacadas de Negócios Diretamente no Seu E-mail!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here