Governo Federal seleciona startups



    Governo Federal seleciona startupsNesta segunda-feira, dia 15 de abril, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) divulgou o primeiro edital de seleção de empresas do programa Start-Up Brasil, que tem como intuito fomentar a criação de empresas de tecnologia no Brasil. O formulário de inscrição estará disponível no portal do ministério no dia 25 de abril. Esta é a primeira parte do programa que vai beneficiar 50 empresas, que vão receber R$ 200 mil cada e vão participar de programas de aceleração de negócios. Por conta disso, empreendedores devem ficar atentos para poderem participar do processo seletivo

    Como participar da seleção

    Para a start-up participar e concorrer ao incentivo federal, é preciso que ela tenha até três anos de vida. O edital contempla aquelas que sejam brasileiras e estrangeiras, sendo que essas últimas só poderão ter direito a até 25% das oportunidades. O planejamento feito pelo governo, segundo o ministério, é dar forças para que as empresas brasileiras tornem-se competitivas e possam trocar suas vivências com as start-ups do exterior.




    Segundo informações do secretário de políticas de informática do MCTI, Virgílio Almeida, o edital conta com quatro partes principais de critérios de seleção e os que vão disputar uma oportunidade para ter incentivos devem prestar atenção neles..
    O primeiro deles é o que se refere à solução revelada pela stat-up. Desta forma, quanto mais inovadora for a proposta apresentada pela empresa, mais pontuação ela ganha.
    O segundo critério é o de equipe qualificada. Desta forma, se a empresa tiver funcionários com plenas condições para colocar a proposta em prática, ganha pontos, e não precisam ser conhecimentos necessariamente acadêmicos. Almeida afirma que a experiência das pessoas que trabalham nas start-ups é levada em conta com muito peso.

    O terceiro requisito leva em consideração o modelo de negócios que a empresa trabalha e a sua capacidade de ser sustentável e ganhar dinheiro com isso.

    Por último, a start-up que deseja receber investimentos federais deve ter o seu negócio em consonância com setores que sejam considerados primordiais para o governo, como o aeronáutico, financeiro, mineração, finanças e óleo e gás.

     Edital ajuda as empresas nascentes

    O lançamento do edital desta etapa do programa federal tem como foco as stat-ups que estão começando e por isso deixa lacunas para as de porte intermediário. Segundo o empreendedor Felipe Matos, o incentivo federal é para aquelas empresas que necessitam de investimentos considerados modestos, se compararem aos outros que são feitos com as empresas que já estão há mais tempo no mercado. De acordo com ele, ainda assim, a realidade atual é bem melhor do que há três anos, época em que os investimentos estavam voltados para as empresas maiores.
    Em meio a tudo isso, existe um desafio que deve ser enfrentado: há empresas que já estão maiores que as pequenas, estas que vão receber os incentivos federais, porém não estão tão robustas a ponto de receberem investimentos maiores. Na opinião dele, a forma mais adequada de encarar esta questão é gerar demanda. À medida que existirem mais e mais empresas competentes, ainda que sejam pequenas mas com negócios desenvolvidos, mais investimento será atraído.

    Para o empreendedor, ele diz que o ramo de start-ups está mais forte no país.




    Título: Governo começa a selecionar start-up para programa de incentivo
    Veículo: O Globo
    Autor: Marcelo Corrêa
    Data: 15/04/2013




    FIQUE ATUALIZADO!

    Receba Sacadas de Negócios Diretamente no Seu E-mail!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here