Desoneração em Mais de 40 Setores



    Mais de 40 setores da economia vão sentir de perto a desoneração da folha de pagamento. Entre eles está o de arquitetura, engenharia, transporte de cargas e empresas jornalísticas, contudo isso deverá acontecer somente do ano que vem em diante. Essas áreas foram consideradas na medida provisória (MP) 582, aprovada pelo Congresso, porém o ministro da Fazenda, Guido Mantega, vai fazer uma recomendação à presidente Dilma Rousseff a respeito do veto e ele ainda quer fazer negociações com os empresários conforme o caixa do Tesouro.

     Desoneração deve ser bem calculada




    Desoneração em Mais de 40 SetoresEspecialistas do governo disseram que é necessário fazer as contas com tranquilidade para verificar realmente o peso que a desoneração vai provocar nas contas públicas. O ministro já disse que o governo vai prolongar o incentivo, contudo não deseja receber nenhum tipo de força para realizar tudo logo. Antes, será necessário conferir as consequências que a desoneração da folha vai trazer em cada um dos setores e sobre a arrecadação.

    O governo federal já fez redução de encargos sobre a folha de 42 setores, revelando uma renúncia de R$ 16 bilhões. Contudo, enquanto a MP 582 tramitava, o Congresso adicionou mais de 40 atividades, como as de fabricação de armas, munição e fogos de artifício.

    Desoneração: efeitos no mercado de trabalho e nos diversos setores

     De acordo com os técnicos do governo, ainda que seja positivo para a economia, porque cria oportunidades de trabalho e ainda diminui os custos empresariais, a desoneração da folha deve ser analisada com bastante cautela para poder identificar se tal medida será relevante no mercado de trabalho e no desenvolvimento do setor.

    Um ponto que também deve ser analisado pelos técnicos é que no interior de um setor econômico, um porcentual das empresas pode não estar disposto a acatar o benefício. Pelo fato de contarem com uma folha de pagamento menor, a seu ver, não haveria vantagem alguma em começar a pagar a contribuição previdenciária em cima do faturamento.

     Técnicos do governo falam sobre risco de arrecadação da Previdência




     Um especialista do governo afirmou que todos os setores contemplados com a desoneração da folha tiveram que negociar com o governo. Os efeitos dela sobre os setores qe em cima das contas públicas, devem ser analisados.

    Os parlamentares ainda colocaram no texto da MP 582 a oportunidade que as empresas terão de contribuir para a previdência sobre a folha ou sobre o faturamento. Nesta situação, a equipe econômica também fazer indicação para o veto à presidente. De acordo com os técnicos, tal atitude poderia por em risco a arrecadação da Previdência.

    Mantega e Tombini são convidados a falar sobre o PIB de 2012

    Foi aprovado na quarta, 13 de março, na Comissão de Viação e Transportes da Câmara, o requerimento que convida o ministro Mantega e o presidente do Bacen, Alexandre Tombini a esclarecerem a respeito do Produto Interno Bruto (PIB) de 2012, que ficou no 0,9%. A proposta é realizar uma sessão com as demais comissões. Eles podem deixar de comparecer, pois foram apenas convidados.

    Título: Governo quer cortar impostos de mais de 40 setores, mas só em 2014


    Veículo: www.oglobo.com.br

    Autor: Martha Beck e colaboração de Isabel Braga

    Data: 13/03/2013




    FIQUE ATUALIZADO!

    Receba Sacadas de Negócios Diretamente no Seu E-mail!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Please enter your comment!
    Please enter your name here