Economia Doméstica – Realize Seus Sonhos!

0
1273
Economia doméstica
Economia doméstica

Quer resolver os problemas financeiros da sua família? Veja como trabalhar a economia doméstica e realizar seus sonhos com o dinheiro que economizar.

Você gostaria de levar a sua família para fazer a viagem dos sonhos ou comprar a casa própria para lhes proporcionar mais conforto, mas não pode devido à falta de dinheiro? É provável que esse problema esteja ocorrendo porque as suas finanças não estão sendo controladas corretamente, ou melhor, talvez até estejam, mas poderiam ser administradas melhor, fazendo com que sobre uma renda no final do mês para fazer o que tanto sonhou.

Então, se você quer passar o mês com maior tranquilidade, conseguindo pagar todas as contas e ainda fazer sobrar aquele dinheiro que sempre esperou, é necessário aprender mais sobre economia doméstica.

Conheça nosso texto sobre contas a pagar, o que fazer?

Na economia doméstica você encontrará diversos métodos para lidar com os seus rendimentos, distribuindo a verba de acordo com as despesas, além de aprender como a consumir com mais “responsabilidade”.

Sua Ideia de Negócio é Lucrativa?

Saiba quais são as 5 Perguntas Poderosas que podem salvar seu negócio antes mesmo dele ser criado. Evite cometer os ERROS COMUNS dos empreendedores de primeira viagem. Saiba mais...

PS: No final eu apresento uma ferramenta que pode triplicar suas chances de sucesso com um negócio próprio. Clique aqui!.

Uma boa economia doméstica vem com a prática, ou seja, é preciso incutir mais responsabilidade nos seus hábitos de consumo e de controle das contas.

Pensando na sua felicidade e da sua família, montamos esse texto sobre economia doméstica, o qual irá ajudar a conseguir reservar o dinheiro que precisa para tirar suas férias, trocar de carro, dar o presente para a esposa ou até mesmo para conseguir por suas contas em dia. Preparado?

O que é economia doméstica?

A economia doméstica nada mais é do que a administração correta das contas e dos rendimentos da casa. Embora muita gente não tenha o hábito de controlar as suas finanças, aprender a administrar as despesas e investimentos do lar é uma atividade que só acrescenta benefícios às famílias, fazendo com que elas possam realizar os seus objetivos sem passar por tantas dificuldades.

Uma boa dica é adotar a planilha de gastos. Através dessa planilha você conseguirá descobrir tudo que você está gastando, além de conseguir comparar os meses anteriores e focar no que pode ou não diminuir das despesas.

A implantação da economia doméstica pode ser feita para atingir um objetivo específico como, por exemplo, juntar dinheiro para trocar o carro ou durante toda a vida, uma vez que ela traz organização para o lar, evitando que ocorram endividamentos desnecessários ou que extrapolem as receitas dos membros da família.

Por que fazer economia doméstica?

No final do ano, você quer viajar e descansar junto com a sua família? Para conseguir atingir esta meta sem gerar novas dívidas será necessário praticar a economia doméstica durante todo o ano. Esta implementação traz uma série de benefícios para as famílias, entre os principais está a organização e a responsabilidade.

A partir do uso da economia doméstica, a família aprende a administrar as suas receitas e os gastos mensais, tendo maior organização para que todas as dívidas sejam pagas dentro do prazo de vencimento para evitar o acúmulo de juros e também para poupar dinheiro.

Tem dificuldades de administrar as suas fianças? Veja nosso texto sobre como cuidar as finanças pessoais, com certeza irá ajudar muito.

Além disso, os hábitos de consumo tornam-se mais responsáveis, uma vez que as pessoas passam a comprar de acordo com a sua realidade, analisando se elas realmente precisam dos produtos que estão comprando e se poderão pagar sem comprometer mais da metade do seu salário.

Como fazer economia doméstica?

Para fazer com que a economia doméstica seja funcional é necessário separá-las em etapas e estimular todos os membros da família a colaborarem. Como sabemos que não é fácil iniciar mudanças, criamos também um texto sobre o assunto: como lidar com mudanças.

Para mudar a sua vida financeira, acompanhe abaixo como fazer e algumas dicas de economia familiar:

1 – A economia doméstica tem que ser feita em família

Se a prática da economia doméstica vai trazer benefícios para o lar, então todos os membros da família têm que participar, não é mesmo? Sendo assim, a sua primeira missão para otimizar a administração das finanças da casa é envolver todos os membros da família, fazendo com que cada um contribua de alguma forma.

Quando se tem crianças novas torna-se ainda mais difícil de aplicar a economia doméstica, tendo de ser um pouco “duro” com elas. Pense na seguinte situação, você vai ao mercado e seu filho começa a pedir dezena de coisas. Tenha o discernimento necessário para dar o que ele realmente precisa, não o que tiver vontade. Isso é muito importante!

2 – Determine metas para alcançar com a economia doméstica

Você se sente estimulado a cumprir uma tarefa quando não tem um objetivo ou recompensa final? Bom, provavelmente a resposta é não. Portanto, para que o projeto de economia doméstica não seja abandonado no meio do caminho, é recomendado determinar metas e a data que elas devem ser alcançadas.

A partir do estabelecimento de metas como, por exemplo, viajar no final do ano ou comprar um carro novo, a tendência é que todos os membros da família fiquem mais estimulados a contribuir. Nesta etapa, também é indicado fazer um levantamento do custo total do objetivo que se pretende alcançar, assim é possível saber o quanto é necessário economizar.

3 – Faça um estudo dos rendimentos da família

Você sabe o faturamento total da sua família por mês? Se a resposta for não, faça agora mesmo um estudo para saber qual é rendimento de cada membro da família. Depois é só fazer a soma de todas as receitas para chegar à quantia total de dinheiro que entra na sua casa por mês.

Esse procedimento é importante para que você analise se com esse valor é possível atingir as metas estabelecidas, se é necessário adaptá-las a realidade financeira da família ou mesmo buscar rendas extras para incrementar o orçamento mensal.

Nesse momento vale a pena focar em estudos de administração, talvez até mesmo na própria teoria geral da administração.

4 – Separe os custos fixos dos variáveis

Normalmente, os gastos das famílias costumam variar para mais ou para menos em cada mês. Para saber por que está havendo este descontrole é necessário separar os custos entre os fixos e os variáveis. Os custos fixos são aqueles que ocorrem todo o mês, dentre eles estão a luz, água, aluguel e internet. Já os custos variáveis acontecem eventualmente, como é o caso da compra de remédios, roupas ou conserto de eletrodomésticos.

Ao separar os custos fixos dos variáveis, você terá mais praticidade para controlar as suas finanças, podendo analisar se o dinheiro está sendo usado para atender as necessidades da casa ou estão ocorrendo gastos supérfluos e o que fazer para cortá-los.

5 – Divida o pagamento das contas

Todos os membros da família possuem renda? Então todos eles devem contribuir com o pagamento das contas. Portanto, reúna todas as despesas da casa e some-as. Dessa maneira, é possível saber o valor total dos gastos da família e o quanto cada um tem que pagar.

Esse é um erro bem comum na administração da economia doméstica. Normalmente os pais querem “poupar” seus filhos de auxiliar no pagamento das contas, o que leva a não criar a necessidade e consciência de auxiliar na economia doméstica, fazendo com que, além de não contribuir, ainda gaste mais.

As dívidas podem ser divididas em valores iguais. Porém, também vale ressaltar, que se há uma variação de receitas, o ideal é que as pessoas que possuem salários mais altos paguem as contas mais caras, enquanto que quem recebe menos arcam com as contas de valores menores. O mais importante é que todo mundo contribua para que as despesas sejam pagas dentro do prazo de validade.

6 – Determine uma quantia a ser poupada por pessoa

Se a intenção da família não é apenas conseguir pagar as contas em dia, mas sim poupar dinheiro, recomenda-se determinar uma quantia a ser poupada por pessoa.

Faça um estudo para analisar o que cada pessoa pode fazer para que sobre dinheiro no final do mês, o ideal é que cada um faça um pequeno sacrifício, ou seja, deixe de consumir algo para que não faça parte das suas necessidades.

Para que ninguém caia na tentação de gastar o dinheiro que está sendo poupado, a dica é abrir uma conta bancária para guardar os valores economizados durante o mês. Neste caso, é preciso determinar uma data para fazer os depósitos e manter a disciplina para que retirada só aconteça para arcar com a meta estipulada.

7 – Faça uma planilha de orçamento doméstico

Para que a prática da economia doméstica seja ainda mais funcional, é recomendado montar uma planilha de orçamento, em que todas as informações levantadas anteriormente possam ser dispostas.

Esse relatório serve para que a família se oriente e acompanhe a sua evolução no decorrer dos meses. O documento pode ser montado no Excel, que é um software simples e fácil de mexer.

Caso você tenha dificuldades para criar a planilha, você pode compra-la, o preço é bem em conta, sem contar que poderá utilizar pelo resto da vida, sendo necessário apenas alterar os dados.

Agora é a sua vez de trabalhar a economia doméstica, conte-nos como foi!

FIQUE ATUALIZADO!

Receba Sacadas de Negócios Diretamente no Seu E-mail!

DEIXE UMA RESPOSTA