Controle de Estoque



Controle de Estoque
Controle de Estoque

O atual ambiente de tarefa no qual as empresas estão inseridas consiste em um ambiente competitivo e globalizado, o que requer das empresas a adaptação a novas tecnologias, novos processos e na gestão de estoques não é diferente.

O estoque é importante, pois constitui o insumo de trabalho e de transformação das organizações.




Até mesmo as empresas de serviços trabalham com estoque, para as atividades diárias ou como insumo principal se considerarmos que o Know How é também um insumo de trabalho.

Sua Ideia de Negócio é Lucrativa?

Saiba quais são as 5 Perguntas Poderosas que podem salvar seu negócio antes mesmo dele ser criado. Evite cometer os ERROS COMUNS dos empreendedores de primeira viagem. Saiba mais...

PS: No final eu apresento uma ferramenta que pode triplicar suas chances de sucesso com um negócio próprio. Clique aqui!.

Por isso, o controle de estoques é uma das atividades mais importantes para as empresas e atividades que gera o uso de ferramentas próprias de gestão, custos e a dedicação dos envolvidos.

Conceitos

O gerenciamento de estoques é importante para que as empresas consigam suprir as necessidades de estoques, controlando tudo o que requer cuidado quanto à gestão de estoques: prazos, quantidades, guarda, valores, movimentação e outros.

Atualmente as empresas contam com um processo de gerenciamento de estoques que seja integrado e alinhado ás estratégias e políticas da empresa.

Considerando que cada tipo de estoque possui uma cadeia de valor peculiar, avaliando canais de distribuição, demanda, previsão de vendas e outros.




Sendo que o gerenciamento de estoques está atrelado aos recursos que a empresa possui para a atividade e ainda o mercado em que atua.

A política de estoques é também um fator relevante para a gestão de estoques, pois consistem no conjunto de normas, diretrizes, relacionadas ás compras, movimentação e vendas de estoques.

Portanto, o controle de estoques é uma atividade relacionada ao gerenciamento e á política de estoques de cada empresa.

A gestão de estoque depende ainda do equilíbrio do consumo de estoque quanto ás necessidades de atender á demanda, risco de falta e manutenção do consumo.

Portanto, a equação de estoques requer ao atendimento das necessidades de demanda e ainda os custos gerados pelo excesso de estoques.

Com isso, a preocupação com o controle de estoques é crescente.

Função do controle de estoque

 A preocupação com o controle de estoques é essencialmente uma preocupação de gestão financeira.

O controle de estoque é uma função primordial para as empresas e que vem evoluindo com o tempo e demandas do mercado.

Para continuarem competitivas as empresas investem em novas maneiras de controlar o estoque e se adaptar ás novas tendências logísticas do mercado.

O controle que era realizado de forma manual deu lugar ao controle com o uso da informática e de softwares específicos.

Seja qual for a tecnologia adotada para controle de estoques o importante é observar a rotina considerando problemas de controle, problemas com inventário ou prejuízos.

O controle de estoques consiste no conjunto de registro, fiscalização entradas e saídas de estoques.

O controle de estoque tem uma função do registro de aquisição e perdas para uma gestão eficiente de estoques.

Para isso, as empresas devem manter um controle de quantidades, custos fixos e variáveis que envolvem estoques.

A função de controle consiste em responder diversas questões que envolvem a gestão do estoque:

O que deve permanecer em estoque?

Quando o estoque deve ser abastecido?

Qual a quantidade de estoque para determinado período?

Essas questões devem ser respondidas após o devido controle de estoques, isso porque, o departamento de compras só deve ser acionado quando existe uma decisão objetiva para aquisição de estoques e ainda o recebimento e o recebimento de estoques de acordo com as necessidades de produção e de vendas, sem excessos.

A função primordial do controle de estoques busca responder duas questões:

Quando comprar – uma empresa não pode trabalhar sem estoque e comprar deve ser uma decisão quanto ao período, considerando os períodos de maior ou menor venda e ainda épocas de sazonalidade de vendas.

Com isso, entra uma questão importante que é a previsão de demanda.

A previsão de demanda ou de estoque consiste em estimativas para compra de estoques com projeções quantitativas e qualitativas.

Previsão quantitativa – uma previsão quantitativa de estoques consiste em verificar como se comportou as vendas passadas de acordo com variáveis de previsões como: vendas do ultimo período, população, renda e outros.

Previsão qualitativa – as técnicas qualitativas de previsão de consumo consistem na análise de variáveis qualitativas como: a opinião de gerentes, opinião de vendedores ou pesquisa de mercado.

Objetivos do controle de estoques

 O controle de estoques é importante por diversas razões que envolvem uma gestão eficiente de estoque, dentre estas razões estão:

Consequências do excesso de estoques- o excesso de estoques pode ter como consequência custos com desperdícios e aumento de custos com armazenagem e ainda o risco de ociosidade e obsolência dos estoques.

Flutuações na demanda- um controle eficaz de estoques requer atenção á questões como sazonalidade de vendas que tem como consequência possíveis flutuações da demanda.

Quanto á flutuações da demanda o que o controle de estoque fornece é a capacidade de antecipar demandas com previsão da demanda.

Tempo de reabastecimento- o reabastecimento de estoques pode variar por diversos motivos, entre eles estão: tempo de reabastecimento, falta de insumos nos fornecedores, etc.

O importante é contar com um planejamento de estoques que seja capaz não só de prever atrasos ou falta de entregas de estoques como também de antecipar problemas como estes.

Manter e gerenciar estoques são um processo caro e por isso, o controle de estoques é de responsabilidade das finanças, pois um dos objetivos financeiros das empresas é minimizar custos e investimentos em estoques e ainda o objetivo de melhorar o desempenho dos estoques.

Uma das principais ferramentas de gestão para o controle de estoques é também uma das ferramentas mais conhecidas que é a classificação ABC.

 Classificação ABC

 A classificação ABC consiste em classificar produtos do estoque de acordo com seu valor econômico.

Vejamos como funciona a classificação:

Estoques da Classe A: os estoques da classe A abrangem produtos que são prioritários para a atividade fim da empresa e que representam 20% em quantidade e 80% do valor econômico.

Classe B: os itens intermediários têm um grau de importância considerável e respondem por 30% em quantidade e 15% do valor econômico.

Classe C: os itens classificados como C são aqueles que são importantes para as atividades, mas seu valor econômico não gera grandes prejuízos, respondendo 50% na quantidade e 5% no valor econômico.

Não é necessário ressaltar que os itens que merecem maior dedicação quanto ao controle de estoques são os itens da classe A.

 Custos de Estoque

 Um controle efetivo de estoques evita, diminui ou auxilia na redução de custos.

Os custos comuns na gestão de estoques são: custos de aquisição, custos de armazenagem, custos com pedidos e com a falta de estoques.

Custo de aquisição- o custo de aquisição consiste no valor em que as empresas pagam pelo estoque adquirido, neste quesito é importante considerar o poder de negociação das compras, com o objetivo de minimizar o valor das compras.

Custo de armazenagem- o custo com o armazenamento de insumos, como este custo é fixo e aumenta de acordo com a quantidade armazenada, todo cuidado é pouco para evitar estoque em excesso.

Para manter o estoque de forma econômica se utilizam diversas ferramentas de gestão como o just in time que consiste em diminuir o estoque com a compra apenas dos insumos necessários para cumprir contratos e a demanda e a necessidade de consumo.

 Consequências da falta de controle de estoque

 A falta de controle de estoque pode gerar duas situações: o estoque em excesso ou a falta de estoques; nas situações o que ocorre são problemas financeiros, econômicos e de competitividade para as empresas.

Aumento do estoque e de capital imobilizado – aumentar o estoque e o capital que não gera novas receitas não é o que as empresas precisam para alavancar seus negócios.

Aumento da necessidade de capital de giro- com estoque que não atendem necessidades de curto e médio prazo o que ocorre é uma maior necessidade de capital de giro para manter as atividades.

Aumento da necessidade de espaço físico na empresa- o custo com a manutenção de estoques é fixo, ou seja, mesmo quando não há estoque existe o custo com o aluguel do espaço, salário dos funcionários responsáveis pelo estoque e etc.

Aumento das perdas com mercadorias fora do prazo de validade-especialmente quando se trabalha com perecíveis.

O excesso de estoques pode gerar diversas consequências econômicas para a empresa como o cancelamento de pedidos, mas a falta de estoques também pode gerar problemas para a empresa como:

Lucros cessantes- a perda de lucros ocorre devido à incapacidade de fornecer, como consequência o que ocorre é o cancelamento de pedidos.

Custos adicionais- esses custos são causados por fornecimentos que não ocorrem, e se faz necessário custos com a substituição de materiais de terceiros.

Custos pelo não cumprimento dos prazos- o não cumprimento de contratuais por falta de estoques gera diversos prejuízos econômicos e financeiros como: multas, prejuízos, cancelamento de contratos e outros.

E como pior consequência a quebra de imagem da empresa no mercado, o que beneficia a concorrência.

 Prós E Contras Dos Meios Mais Comuns De Controle De Estoque

 A falta de controle de estoques gera diversos problemas como perdas de estoques, furtos e outros.

Por isso, para controlar estoques é necessário um gerenciamento profissional com o uso de ferramentas de gestão e da tecnologia.

Para um controle eficaz de estoques é necessário um gerenciamento de estoques que seja atenda ás necessidades da empresa.

Vejamos agora as diferenças e vantagens de cada tipo de controle:

Manual- é simples, investimento baixo.

Com a desvantagem de que demanda tempo e muito trabalho e ainda a imprecisão das informações e a precariedade de um sistema de acompanhamento.

Software – um software de gestão de estoques é vantajoso quando a quantidade de itens é maior e quando a falta de gerenciamento incorre em altos custos.

A vantagem é que a atualização de dados ocorre em tempo real.

A desvantagem é o investimento alto, porém o empresário deve pesar o custo-benefício.

Planilha eletrônica- o uso da planilha eletrônica tem a vantagem de que pelo menos o empresário terá um controle informatizado que pode ser atualizado, conferido, analisado quando necessário.

Outra vantagem é o baixo investimento, basta um computador com programa de planilhas eletrônicas.

O que achou do nosso texto sobre controle de estoque?




FIQUE ATUALIZADO!

Receba Sacadas de Negócios Diretamente no Seu E-mail!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here